domingo, 11 de janeiro de 2015

A banda Foda-se e CIA: (Palco do Rock 2015)



Dos confins da capital Soteropolitana, abram espaço para a criatividade, irreverencia e toda potência vocal da banda, nada comercial, FODA-SE e CIA ILTDA.

Uma das atrações confirmada para o Palco do Rock desse ano, a FODA-SE e CIA ILTDA tem seu inicio em 2011, através da formação de outras três bandas, a "Foda-se" tem uma historia bem peculiar: amigos se juntaram e formaram uma banda horas antes de participar de um determinado evento. Convocado pelo vocalista Zarlan Santos (Egos em Agonia), o guitarrista Ramon Lopes (Infinite), o baixista Eric Silva (Caos S.A.)  e o baterista Lenon (Sbórnia Social), acabaram aceitando o desafio e o convite de ultima hora. Pronto; cenário perfeito para um desastre anunciado!

 Só que não...! A banda se apresenta bem e fica o sentimento de que dali pode sair coisa boa. E saiu!!!

A formação original, que traz o Paulo Silveira na bateria, começou as atividades propriamente dita, no final de 2012, apresentando  seus ensaios em videos disponibilizados na internet. Logo os ensaios chamaram atenção do publico, pelo senso de humor e pelo som de qualidade; não demorou muito para chegarem convites para participar de eventos em Salvador e região metropolitana.

Com uma boa presença de palco e uma energia para critico nenhum botar defeito, a banda faz um estilo, como eles mesmo dizem, "Rock literalmente alternativo", procurando passar de forma inteligente, a mensagem de que diversão e responsabilidade podem caminhar de mãos juntas, o que faz a banda ter uma ótima interação com o publico.

Quer mais? Em 2013 a banda gravou sua primeira demo, intitulado MPB -Musica Podre Baiana, que traz a bem trabalhada musica Procura-se. A demo está disponível para download no 4shared; clique aqui e baixe a demo. Vale a pena ouvir.

O Palco do Rock tem data marcada pra começar no dia 14/02; ainda não foi divulgada a grade evento.


Cidade: Salvador
Estilo: "Rock Literalmente Alternativo"
Facebook: Foda-se
Twitter: @fodaseciailtda






sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Dia 10 de Janeiro vai rolar...



CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR

Lá e de volta outra vez.



O ano começa para o CRock Club exatamente hoje, dia 10/01/2015. Com expectativas sempre de que o novo ano traga consigo novos fôlegos, novas ideias e claro novos públicos.

Para o rock local, os sinceros desejos de que as movimentações em torno do cenário alternativo baiano continue como foi em 2014; bastante atrações nacionais e internacionais visitando nossas cidades; contando sempre com a presença forte de bandas locais movimentando o cenário Underground.

2014 foi o ano das demos. Ano em que algumas bandas se firmaram na cena "alternativa", outras nem tanto; muitas passaram por mudanças, se renovaram e permaneceram acesas. O mais importante foi a movimentação; muita coisa aconteceu e muita coisa deixou de acontecer.

Para o leigo que vos escreve, o desejo de que 2015 seja um ano diferente do ano anterior; que possamos estar mais próximos dos eventos que acontecem e que possamos ter mais tempo para editar o blog.

Estamos sempre com pensamentos positivos em trazer novidades e frequência para todos os visitantes que volta e meia, entra no site atrás de informações sobre os eventos locais e nacionais.

Que esse seja um bom ano para nós todos.

BOA SORTE, ENTÃO; PRA NÓS TODOS!!!

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Fim do Beady Eye...

Liam Gallagher anunciou via twitter, o final da banda Beady Eye, banda fundada em 2009 por ele e pelos ex-integrantes do Oasis.

Em comunicado rapidinho pelo chamado "micro-blog" Liam apenas disse: "O Beady Eye já não existe mais. Obrigado a todos vocês. Lgx"

O Beady Eye lançou apenas dois discos: Different Gear, Still Spedding, em 2011 e o álbum BE em 2013. Os dois trabalhos até conseguiu ficar por um tempo na lista dos cincos grandes sucessos mais vendidos, mas tendo em vista os baixos números de vendas de mídias, esse é um número não tão significativo, principalmente por se tratar de um Ex-Oasis.

E por falar em Oasis, mal foi anunciado o fim do Beady Eye, logo surge a fofoca nos bastidores sobre um possível retorno da banda, tendo em vista que o trabalho do irmão mais velho do Liam, o Noel, também não vai lá essas coisas. O papo que rola é que mesmo brigados, os irmãos eles vêem com bons olhos o retorno da banda para uma possível turnê em comemoração dos 20 anos do segundo álbum da banda, o What's The Story (Morning Glory) que será ainda em 2015...

Quem sabe eles não dê uma passadinha pelo Brasil, né?!

A baixo segue o clipe Morning Glory, do longínquo ano de 1995... ;-)

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

O Mundo Mais Alternativo

A era da informação está aí; MP 3 faz-nos esquecer que um dia existiu uma coisa chamada CD, vinil já nem se fala mais (a não ser entre os "bangers" conservadores de plantão). Em um mundo onde as informações trafegam praticamente na velocidade da luz, é natural que as mudanças de
hábitos também tendam a seguir nesse mesmo sentido; e é uma dessas mudanças que têm esquentado a cabeça de muitas bandas.

Fato: as pessoas não compram mais CDs... Com o auge dos serviços de "Streaming" e downloads, as vendas de álbuns vem caindo cada vez mais. Segundo dados vinculados na mídia pela Forbes, o ultimo disco a alcançar a marca de 1 milhão de vendas aconteceu ainda em 2013, que por sinal foi o único disco de platina de 2013.

Em contra partida, o numero de "download" via torrent, somente em 2011, atingiu a marca de 100 milhões de usuários. Isso provocou mudanças drásticas na forma como grandes bandas visualizavam o cenário musical. Se antes focava-se mais em álbuns e menos em shows, hoje as bandas para manter-se, buscam sair mais  dos estúdio e vão de encontro a grande massa de consumo. (bom pra gente, né?!)

Nesse ponto, as coisas estão muito mais simplificadas no ponto de vista de divulgação, principalmente para novas bandas. Com gravadoras cada vez mais enfraquecidas, podemos ver muito mais bandas independentes conseguindo viver graças a serviços "gratuitos" disponibilizado na internet, onde pode-se apresentar um trabalho mais simples (como uma demo), mas com qualidade.

Se antes o desafio era conseguir ouvir na casa de um amigo o álbum da sua banda em formato k7, hoje o desafio é conseguir filtrar, no meio de milhares de bandas, álbuns, demos, singles, o material
que mais lhe representa e de alguma forma tentar ajudar essa banda, seja indo aos shows ou seja nos serviços de compartilhamento em massa disponível nas redes sociais...



Bahia Metal Festival - Primeira Edição

CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR


quarta-feira, 5 de junho de 2013

Show Radiola Alternativa




Depois do grande sucesso das duas primeiras edições da temporada 2013 o Radiola Alternativa prepara mais uma grande edição no próximo dia 8 de junho, com as bandas:

terça-feira, 7 de maio de 2013

Resenha show do Matanza

E eis que novamente o Coliseu do Forró foi tomado por centenas de rockeiros todo de preto. Dessa vez a banda em questão é o Matanza.
Portões abertos, fila imensa para entrar e já era perceptível que o Matanza ainda continua com uma base muito sólida de fãs soteropolitanos. Todos devidamente já dentro da casa, som mecânico rolando muito Metallica e os presentes estavam tão ávidos e empolgados que já nesses momentos já formaram uma roda imensa, bem em frente ao palco. Imagina quando começasse o show?
Quase as 21h, finalmente sobem ao palco e iniciam o já conhecido inferno que é um show da banda. Rio de whisky, Ela roubou meu caminhão, Quando bebe desse jeito, Country hardcore funeral e Carvão enxofre e salitre são executadas sem parar e antes de um boa noite. Mas quem disse que o Matanza é bem educado?
Aí vem algumas palavras e logo param de conversar e tocam Tudo errado, Imbecil e Matanza em Idaho, do disco novo.
 Comum discurso introdutório para o Clube dos canalhas, Bebum acabado e Odiosa natureza humana, antes de outra pausa para respirar.
E toda hora passa alguém desmaiado de sabe-se lá o quê.
E a banda continua a tocar seus sucessos, como Chamado do bar, Meio psicopata e A arte do insulto. Importante salientar que durante todo o show o som não estava bom, mas depois de tocarem Remédios demais eles emendaram com Ressaca sem fim, e foi aí que começou a realmente falhar, com alguns instrumentos como se estivessem sido desligados, mas o show continuou e tocaram Eu não gosto de ninguém, que também teve falhas.
Nesse momento a banda para o show para tentar consertar o som, que foi continuado com Toda o ódio da vingança de Jack Buffalo Head e Maldito hippie sujo.
Jimmy faz promessas de volta a Salvador, homenageia as diabinhas soteropolitanas e toca o seu hino a amizade: Tempo ruim, com vários amigos se abraçando no refrão. Seria essa uma música romântica do Matanza?
E lá vai mais sucessos, Pé na porta e soco na cara, em homenagem a Salvador. Como foram vistos vários que realmente aparentemente faziam o que estava nas letras ( os desmaiados de plantão ), poderia até rolar alguma briga nessa hora. Mas felizmente o show foi acontecendo sem incidentes.
Quem perde sai e Estrada de ferro Thunder Dope são tocadas. E depois de Santa Madre Cassino, Jimmy diz que o shows está chegando ao fim e se prepara para tocar as últimas músicas, mas infelizmente não pude mais continuar no evento, devido problemas pessoais.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Peu Sousa é encontrado morto.

E o rock baiano amanhece triste nesta segunda feira. Foi encontrado morto Peu Sousa, em seu apartamento. O músico tocou com Pitty, Dois Sapos e Meio e Nove Mil Anjos, além de atuar como compositor e produtor musical e teve uma carreira solo. Ainda não foram divulgadas informações sobre a causa da morte. Deixou esposa e dois filhos.

Informações do jornal O Globo dão conta que o músico foi encontrado enforcado em um cinto. O jornal também cita que o músico havia brigado com a esposa, que saiu e ao voltar encontrou-o morto.
Aqui um vídeo com um de seus maiores sucessos: Equalize.




sexta-feira, 3 de maio de 2013

Morre Jeff Hanneman (Slayer), um dos fundadores do thrash

O mundo musical amanheceu intelectualmente mais pobre nesta manhã. Isso por que, morreu aquele que foi um dos fundadores do thrash metal na década de 80.

Jeffrey John Hanneman tinha 49 anos e morreu na quinta-feira, às 11h, de doença hepática, em um
hospital no sul da Califórnia.

Considerado um dos mais importantes guitarristas do heavy metal, Jeff Hanneman era, junto com Kerry King, membro fundador e uma das duas guitarras que conduzia as investidas sonoras dos Slayer, banda que junto com Megadeth, Metallica e Anthrax, formam o quarteto central do movimento musical nos anos 80, conhecida como Big Four: As Quatro Grandes (maiores) Melhores Bandas de THRASH METAL dos últimos tempos.

Além disso, foi coautor de algumas de suas músicas mais conhecidas do THRASH METAL, como "Angel of death" e "Raining blood", do álbum "Reign in blood", de 86.

Ativo na banda desde sua formação, o californiano esteve envolvido em algumas polêmicas, uma delas diz respeito  à letra de Angel of Death, em que ele faz uma reflexão sobre as atrocidades cometidas por Josef Mengele, o médico nazi que conduzia experiências sobre os prisioneiros do campo de concentração de Auschwitz. O guitarrista negou as associações a movimentos neo-nazis que a música gerou, reiterando sempre que nada tinha a ver com movimentos de extrema-direita.